Em levantamento feito por empresa de software, a capital está em segundo lugar, atrás de Goiás. Mesmo assim, as taxas estão abaixo do ideal
 
 
No ranking das unidades federativas que mais respeitam o isolamento social, necessário para evitar o contágio do novo coronavírus, o Distrito Federal aumentou a taxa de adesão. Porém, em Goiás, a obediência foi ainda maior e o estado volta à primeira colocação da lista.
 
Os dados referem-se à terça-feira (14/04). Naquele dia, 58,46% dos cidadãos goianos ficaram em casa. Na segunda-feira (13/04), os números apontavam 50,22%. O aumento de oito pontos percentuais fez com que a unidade ultrapassasse o DF.
 
Uma informação importante: a Organização Mundial da Saúde (OMS) preconiza que o índice ideal de isolamento para que a transmissão da Covid-19 seja menor é de 70%.
 
A capital do país havia atingido 55,90% de adesão na segunda-feira. Na terça, o número subiu para 56,79%. Importante notar que mais estabelecimentos comerciais foram autorizados a funcionar, como as óticas.
 
Veja a lista:
 
O Distrito Federal, invariavelmente, aparece na lista em primeiro lugar. Entretanto, na semana passada, na quinta-feira (09/04), a cidade caiu para o segundo lugar, atrás de Goiás (54,17%). Na Sexta-feira Santa (10/04), mesmo com uma adesão de 62,5%, caiu para a quarta colocação. A liderança, então, ficou com o Piauí (63,93%).
Entre as regiões do Distrito Federal, o Plano Piloto é a área que menos obedece à quarentena. Segundo levantamento do MDados, núcleo de jornalismo de dados do Metrópoles, o Riacho Fundo II aparece como destaque na obediência ao isolamento social.
 
Confira o ranking dentro do DF:
Os números do ranking brasileiro são fornecidos pela empresa de software In Loco, que usa dados de 60 milhões de dispositivos móveis para a geolocalização. Somente esse tipo de informação é obtida, preservando a privacidade dos usuários.
 
Os leitores do Metrópoles têm a possibilidade de ficar sempre bem informados sobre as notícias do novo coronavírus. Para isso, pode receber a newsletter: basta clicar aqui. Os últimos dados também estão sempre no nosso link de tempo real sobre a Covid-19.
Fonte - Metrópoles