Homem identificado como Christian Brückner estava detido anteriormente por estuprar uma idosa de 72 anos. Ele tem passagens por abuso sexual de menores.
Polícia divulga fotos do veículo de suposto assassino de Madeleine McCann — Foto: Polícia Metropolitana de Londres/Divulgação
As polícias de Portugal e da Alemanha deram nesta quinta-feira (4) mais informações sobre o homem considerado suspeito no caso Madeleine McCann, menina britânica que desapareceu em uma praia no sul português em 2007 e cujo paradeiro continua um mistério.
Segundo o jornal "The Guardian", o homem se chama Christian Brückner, um alemão de 42 anos. Ele é conhecido pelas autoridades de segurança da Alemanha e foi condenado no ano passado por estuprar uma idosa norte-americana de 72 anos na Praia da Luz, em 2005. Ou seja, o crime ocorreu na mesma cidade onde Madeleine desapareceu, dois anos depois.
Além disso, segundo autoridades alemãs, Brückner tem condenações por abuso sexual de menores, roubos, tráfico de drogas e é conhecido por invadir hotéis.
Jornal alemão "Bild" publicou foto de homem considerado suspeito de participar do desaparecimento de Madeleine McCann — Foto: Reprodução/Bild/Twitter
 
O jornal alemão "Bild" publicou uma fotografia de Brückner. Segundo a reportagem, ele está detido em uma prisão em Kiel, no norte da Alemanha.
 
Também nesta quinta, o promotor Hans Christian Wolters, que cuida do caso na Alemanha, disse que a hipótese mais provável é de que Madeleine tenha morrido. No Reino Unido, porém, as autoridades ainda trabalham com a hipótese de que a menina esteja viva.
 
Novo suspeito
 
Madeleine McCann — Foto: Jornal Nacional
 
O anúncio na quarta-feira de que há um novo suspeito no caso Madeleine McCann reacendeu um mistério presente na Europa desde 2007, em uma investigação com reviravoltas.
 
A polícia acredita que Brückner estava na área onde a criança de 3 anos foi vista pela última vez. Eles estão pedindo informações sobre uma van usada pelo suspeito para viajar em Portugal e o outro veículo, um Jaguar. O homem transferiu esse Jaguar para o nome de outra pessoa no dia seguinte ao desaparecimento de Madeleine.
 
 "Alguém por aí sabe muito mais do que está contando", disse Mark Cranwell, que chefia a investigação.
 
Fonte - G1/Mundo



Fonte: G1/Mundo
Publicado em: 05/06/2020 11:29
Link: http://www.agenciasatelite.com.br/website/siteplus/noticia/noticia_detalhe_23a.asp?id=495&idRegistro=26684