Sala de aula de uma escola pública do Distrito Federal — Foto: Dênio Simões/Agência Brasília


Declaração de Leandro Cruz (Secretário de Educação do DF) foi feita durante live de balanço dos 100 primeiros dias à frente da pasta. Escolas particulares retomaram atividades em 21 de setembro
 
Osecretário de Educação do Distrito Federal, Leandro Cruz, afirmou que as aulas presenciais na rede pública da capital só devem ser retomadas no ano que vem, por conta da pandemia do novo coronavírus. A declaração foi feita durante uma live nas redes sociais, na quarta-feira (30), quando ele fez um balanço sobre os 100 primeiros dias à frente da pasta.
 
Secretário de Educação do DF, Leandro Cruz Fróes da Silva — Foto: Francisco Medeiros/ME
 
Em julho, a Secretaria de Educação chegou a anunciar um calendário de retomada das atividades presenciais, que teria início em 31 de agosto. Alguns dias antes da data, porém, a pasta suspendeu a medida por tempo indeterminado. Já nas escolas particulares, as aulas foram retomadas em 21 de setembro (veja mais abaixo).
 
Durante a live, Leandro Cruz disse que a pasta fez diversos esforços para garantir que o ensino remoto alcance todos os estudantes da rede. Entre eles, citou o aplicativo criado para a realização das aulas, além da internet gratuita para os alunos e a entrega de material impresso na casa das famílias.
Suspensão e retorno
 
As aulas presenciais nas redes pública e particular foram suspensas em 11 de março, após a confirmação dos primeiros casos de Covid-19 na capital. Desde então, estudantes têm participado de atividades de forma remota e o ano letivo foi retomado nas escolas públicas em julho.
 
No mesmo mês, a Secretaria de Educação anunciou um calendário de retorno das atividades presenciais, que teria início em 31 de agosto. A previsão era a seguinte:
31 de agosto: Educação de Jovens e Adultos (EJA) e educação profissional
8 de setembro: ensino médio
14 de setembro: ensino fundamental II
21 de setembro: ensino fundamental I
28 de setembro: educação infantil
5 de outubro: educação precoce e classes especiais
 
Em 19 de agosto, no entanto, a pasta suspendeu a medida por tempo indeterminado. À época, o secretário de Educação, Leandro Cruz, disse que a data de 31 de agosto era apenas uma “referência” e que equipe da secretaria entendeu que não havia desaceleração da curva da pandemia na capital.
 
Fonte - Agência Brasília