Além disso, Caixa Econômica Federal também deve anunciar a prorrogação, por mais 90 dias, do pagamento de contratos de crédito
Divulgação/SES-PB
 
O presidente da Confederação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos, Mirocles Campos Véras Neto, informou nesta terça-feira (25/5) que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deve assinar uma medida provisória destinando R$ 2 bilhões em recursos para atender essas unidades de saúde durante a pandemia de coronavírus.
 
A declaração foi feita a jornalistas, no Palácio do Planalto, após reunião com Bolsonaro e os ministros Marcelo Queiroga (Saúde), Luiz Eduardo Ramos (Casa Civil), Flávia Arruda (Secretaria de Governo) e Onyx Lorenzoni (Secretaria-Geral).
 
Segundo Véras Neto, o ato ainda irá tramitar junto à Casa Civil, para fins jurídicos, e ainda não tem previsão de quando será publicado.
 
“Nós levamos uma reivindicação: a preocupação com a saúde pública das nossas Santas Casas e Hospitais Filantrópicos. Representamos mais de duas mil unidades hospitalares no Brasil. E a nossa preocupação era a questão do financiamento. Temos uma demanda reprimida de pacientes que vão voltar às suas cirurgias; temos o crescimento de [casos da] Covid e, assim, colocamos a necessidade, como foi o ano passado, de mais recursos para nossas entidades”, disse Véras Neto.
Questionado se o valor é suficiente para atender as Santas Casas, o presidente da CMB disse que o montante permite manter as unidades abertas em 2021. Por outro lado, disse que, em se tratando de uma “questão emergencial”, acredita que a ajuda não é suficiente, mas é bem-vinda.
 
“Existe um subfinanciamento histórico do SUS de até 60% menos da que a média do pagamento dos seus procedimentos. […] Mas, agora, a questão emergencial, se esse recurso é suficiente, eu até acredito que não, mas é muito bem-vindo para nossas entidades, para dar tranquilidade aos nossos provedores, para dar tranquilidade aos nossos médicos, através do segundo semestre de 2021”, declarou.
 
Pagamento de contratos de crédito
 
O líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), que também participou da reunião, anunciou ainda que a Caixa Econômica Federal irá prorrogar, por 90 dias, o retorno do pagamento das parcelas dos financiamentos.
 
Em março deste ano, a Caixa já tinha anunciado uma pausa de até seis meses no pagamento das parcelas de contratos de crédito existentes, além de uma nova linha de crédito com juros menores para as Santas Casas.
 
“[A liberação ocorre] em função do aumento de custos que tivemos com os medicamentos, em especial na Covid. Então foi uma solenidade para prestigiar os hospitais filantrópicos que respondem por mais de 50% de todo o atendimento de saúde no Brasil”, disse o deputado.
Leitos de UTI
 
Segundo Véras Neto, as Santas Casas têm mais de 24 mil leitos de UTIs à disposição do SUS, sendo a maioria deles também oferecida a pacientes com Covid-19.
 
Ele ainda informou que a ocupação de leitos pela doença “está em torno de 80% a 90% em muitos estados brasileiros”.
 
O Brasil acumula mais de 16 milhões de casos da Covid-19 e se aproxima da marca de 450 mil óbitos em decorrência da doença.
 
Fonte - Metrópoles