Como relembrar é viver, vamos voltar ao antigo PMDB. Pois é, foi aproximadamente em 2009, quando na convenção do PMDB, o presidente do partido Tadeu Filippelli tomou o microfone do governador Roriz silenciando a voz do maior visionário que o DF teve. Em seguida, Roriz, com muita mágoa, anunciou que mesmo sendo da época de Tancredo Neves, teve que deixar o PMDB, porque Filippelli queria muito ser vice de Agnelo Queiroz nas eleições de 2010.
 
Hoje, com pouco poder, depois de ser réu na Operação Lava Jato e agora alvo da operação que investiga a redução do ICMS do querosene, junto com Eduardo Cunha, Filippelli resolve que a reeleição do governador Ibaneis Rocha depende dos seus crivos partidários. Ou seja, tudo indica que Tadeu Filippelli irá mexer com os caciques Mdebistas para tomar novamente o MDB-DF, que hoje é presidido por Rafael Prudente.
 
Depois das declarações do presidente do MDB-DF e deputado distrital Rafael Prudente, de que Ibaneis será candidato à reeleição pelo partido, Filippelli sofreu novamente a mesma inveja que fez ele expulsar Roriz do PMDB-DF. Filippelli se pronunciou em nota afirmando que o MDB fará uma construção para a próxima eleição que terá origem no “seio” do partido. “Um desejo anunciado individualmente, sem levar em conta a realidade do quadro político local. Não é essa a forma para construção de nominatas e coligações vitoriosas,” disse Filippelli.
 
 
 
Será que novamente o MDB nacional cairá no conto do vigário? Outro equívoco partidário, é citar o MDB-DF como a mãe de seios fartos que alimenta suas bases eleitorais e suas zonais. Quem conhece o MDB-DF sabe que, na verdade, o DF nunca teve zonais constituídas por eleições e democracia. O que existe são indicados provisórios, justamente porque assim o vigário solta o “migué” na nacional e derruba as candidaturas no DF. Quem é expulso sempre recebe um telegrama, porque o cara a cara não é o forte do ex-presidente Filippelli.
 
Vamos ver como o governador Ibaneis irá reagir depois da declaração nada “sutil” de Filippelli. Saberemos o peso que tem alguém sem mandato e com suas condenações que, se continuarem, será pouco provável Filipelli ser candidato a alguma coisa.
 
Novamente a história se repete. Bastou o ex- presidente Lula dar sinais que vai fechar com o MDB, para o ex-deputado Filippelli se sentir vice de um petista novamente. A expectativa do ex-deputado Filippelli é a mesma. Vejamos a fala dele em 2009, após tirar Joaquim Roriz do partido: “Ninguém pode ser maior que o partido, qual é o caminho do PMDB NACIONAL?”, disse Filippelli.
 
Finalizando com aquele ditado popular: “Quem trai Maria, trai João e José também”, caros amigos, com certeza o MDB não é o único partido. Não se pode colocar uma base com 16 deputados distritais, como candidatura solo. Precipitado o Sr Tadeu Filippelli.
 
https://youtu.be/rngQx77WWC0
 
Fonte - Cris Oliveira/Blog da Cris Oliveira